Manchete
Like

Alex: “Não sabia ser tão querido”

21 de março de 2014
134 Vizualizações
0 Comentários
5 minutes read
Alex: “Não sabia ser tão querido”

Depois de renovar com a União da Ilha para mais uma temporada, Alex de Souza conversou com a Rádio Arquibancada

MICHAELL GRILLO

A RÁDIO ARQUIBANCADA não perde tempo e entrevista o carnavalesco Alex de Souza, renovadíssimo com a União da Ilha para 2015. O artista, que será o responsável pelo quinto carnaval consecutivo na tricolor insulana, revelou o que pesou para a permanência na agremiação, depois de tantas sondagens e especulações, fruto dos bons trabalhos apresentados na Marquês de Sapucaí nos últimos anos, desde os tempos da Em Cima da Hora, no início dos anos 2000.

Alex de Souza estreou na União da Ilha em 2011, quando desenvolveu o enredo ‘Mistérios da Vida’, vitimado por trágico incêndio na Cidade do Samba, às vésperas da folia daquele ano. Sua melhor colocação na Escola foi este ano quando trouxe a agremiação insulana de volta ao Desfile das Campeãs, após duas décadas de ausência. A Escola foi a quarta colocada com 298,4 pontos.

Ainda bastante emocionado com a campanha organizada pelos amantes da Escola nas redes sociais, Alex revelou que não esperava tamanha mobilização e revela o que pesou na hora de renovar com a União da Ilha.

– A mobilização organizada pelos apaixonados pela Escola foi surpreendente para mim, algo extraordinário. Eu não esperava e nem sabia que eu era tão querido. Mas, não foi somente isso que pesou na minha decisão de renovar com a Escola. Pesou ter sido a agremiação em que mais tempo trabalhei além da que eu tive mais tempo para conhecer a essência. Poder crescer com uma Escola querida como essa pesou, e muito. É sensacional poder dar continuidade a um trabalho, enfim reconhecido”, afirma o entusiasmado, Alex.

Com um dos barracões mais elogiados no período pré-carnavalesco dos últimos anos, o carnavalesco clama por mudanças no julgamento do quesito Alegorias e Adereços. Segundo ele, torna-se complicada a avaliação de um quesito que envolve vários pormenores:

-Alegorias e adereços formam um quesito que eu acho que deve ser discutido em conversa na Liesa. Eu, particularmente, acho complicado julgar um quesito formado por tantas alegorias, com tantos detalhes, pois basta um deles apresentar problema para que todo o conjunto seja penalizado. Precisamos debater sempre, a fim de chegar a uma conclusão mais justa no critério de avaliação. Como um quesito tão caro e trabalhoso vale o mesmo número de pontos que um casal de mestre-sala e porta-bandeira, por exemplo? E eu falo não desmerecendo o casal, mas é muito mais fácil se retirar pontos de todo um conjunto alegórico. São tantos adereços, esculturas, luzes que se apagam, telas de led que não funcionam, por causa de geradores que podem dar defeito na hora. Ou seja, são meses de investimento para resultar em nada, muitas das vezes – revela Alex de Souza, sem antes deixar de acrescentar:

– Evidente que podemos cometer erros ou que acidentes aconteçam, mas acho que é o pior dos quesitos, uma vez que a maioria das escolas sofrem por problemas em alegorias. Chega a ser um pesadelo para nós, carnavalescos, enfatiza o artista.

A respeito do Carnaval 2015, Alex confirmou que o enredo terá como tema a comemoração pelos 450 anos de fundação da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, mas não revelou a linha que será adotada, muito menos o recorte a ser feito. Mas esbanjou otimismo:

– A leveza do enredo 2014 (‘É brinquedo, é brincadeira; a Ilha vai levantar Poeira’) deu um gás à escola. E essa será a marca daqui pra frente: o caminho para qualquer enredo da Ilha, a partir de agora, será a alegria e a descontração. E não será diferente em 2015. Assim virá, mais uma vez, a Ilha para a Avenida -, finaliza Alex.

Fechado para novos comentários.