Império Serrano
Like

Átila Gomes divulga carta sobre eleições no Império

27 de maio de 2014
139 Vizualizações
0 Comentários
7 minutes read
Átila Gomes divulga carta sobre eleições no Império

Nesta terça-feira (27), o presidente do Império Serrano, Átila Gomes, divulgou uma carta aberta à imprensa sobre o processo eleitoral na escola e as denúncias apontadas pelos candidatos de oposição. Segue o texto, na íntegra:

Venho por meio desta informar a nação imperiana que da mesma forma que cumpri o que foi determinado pela justiça em liminar conseguida pelo senhor Cosme Chagas não vou deixar que deturpem a decisão judicial e inventem medidas a bel prazer.No uso de minhas atribuições como Presidente da agremiação, uma vez que a eleição ainda não ocorreu, foram apenas suspensas. Informo a minha amada nação imperiana que não considerem nenhum pedido de recadastramento por parte do Conselho Deliberativo na pessoa do seu Presidente Cosme Chagas e muito menos marcação de nova data para eleição. A decisão da Excelentíssima Desembargadora Mônica Sardas diz que as eleições para o Conselho Diretor, deliberativo e fiscal estão suspensas até o julgamento final do recurso, logo até lá NADA pode ser feito.

Infelizmente, mesmo depois de declarar que não concorrerei à reeleição no GRES Império Serrano não permitirei em hipótese alguma que nossa escola sofra um golpe. Todos sabem quem são as pessoas que estão articulando tudo isso, as mesmas que tentam ações desse naipe desde 2003 quando prejudicaram aquele desfile Aquarela Brasileira de 2004, quando nossa saudosa Presidente Neide Coimbra também sofreu coma disputa de liminares.Temos pessoas daquela época apoiando as atitudes que estão hoje prejudicando nossa escola.

Consultamos o jurídico de nossa agremiação e temos a plena certeza que nosso Conselho Diretor não está suspenso, vide que o processo movido pela pessoa do presidente do Conselho teve sua petição atendida PARCIALMENTE do qual o Sr Cosme Chagas readquiriu seus direitos sociais que haviam sido declarado administrativamente suspensos, porém seu pedido de suspender por 60 dias todo conselho diretor foi negado, até porque não teria validade alguma uma reunião realizada numa calçada de Madureira sem seu rito normal.Anteriormente a isto tudo, o Presidente do Conselho Deliberativo teve seu outro pedido analisado como IMPROCEDENTE quando quis cercear o direito dos novos sócios com mais de um ano de contribuição de votar nas eleições.

Ás vésperas das eleições o Sr. Cosme Chagas, claramente de conluio com uma das chapas tentou duas vezes suspender as eleições e teve sua petição indeferida. Na madrugada de sábado para domingo, sabe-se lá apresentando que tipos de documentos conseguiu uma liminar em segunda instância suspendendo as eleições e ainda obtendo acesso livre às dependências da agremiação tendo sido atendido o pedido de reter as chaves da escola. Na decisão da desembargadora as ELEIÇÕES estão suspensas até que haja decisão judicial final, o que não houve ainda, impedindo assim qualquer convocação de nova data das eleições.Várias alegações falsas no pedido feito à desembargadora estão sendo levantadas como por exemplo a de que havia um candidato com antecedentes criminais, o que já foi provado o contrário por ele e consequentemente se constatou que tal declaração não passou de uma tentativa covarde de desqualificar uma das chapas em favor de terceiros.

O edital que convoquei as eleições dentro de minhas atribuições foi praticamente uma cópia do edital das eleições de 2011, sendo que zelando pela transparência expus os nomes de quem compôs a comissão eleitoral dentro do que diz o estatuto e sempre foi realizado na história eleitoral de nossa escola.A comissão permanece constituída, estando apenas suspensa,e o Presidente do Conselho está usurpando o poder que não é dele. Fui eleito pelo voto,e pretendo passar o cargo para aquele que tiver também a maioria dos votos dos sócios imperianos, e não a quem pratica golpe contra nossa democracia que é marca registrada da escola. 

Volto a afirmar, nosso Conselho Diretor não está suspenso, qualquer documento administrativo que expresse isso não contem  base legal pois por estatuto só em reunião do Conselho Deliberativo com data marcada, local, horário, edital no prazo poderá advertir ou suspender o Conselho. Está havendo usurpação de mandato alheio, e as pessoas que estão tomando ações administrativas sem serem nomeadas ou terem competência para tal sofrerão futuramente com certeza processos administrativos e podendo chegar à esfera judicial.Estão ferindo a democracia de nossa escola.

É de enorme irresponsabilidade e terão consequências as acusações de que extraviei documentação e computadores da escola. Tudo que ocorreu domingo foi na presença do oficial de justiça que catalogou junto ao nosso diretor de patrimônio os bens que estavam em nossa sede e foram atestados pelo Presidente do Conselho. Quem acusa terá que provar e irá responder judicialmente por calúnia.

É muito triste ainda existir esse tipo de conduta nos dias de hoje na nossa escola que tem uma história tão bonita.Torço que tudo seja resolvido da melhor forma e que as eleições ocorram para a escola dar sequência aos trabalhos de carnaval. Aproveito ainda para agradecer à direção da LIERJ que tentou agir em prol de nossa agremiação, tentando uma conciliação entre as partes mas que infelizmente não foi atendida por uma delas.Mais uma página triste de nossa história escrita pelas mesmas pessoas que agiram nos anos de 2003 e 2004.

Fechado para novos comentários.