Category: Em Cima da Hora

Em Cima da Hora divulga sinopse

logoemcimadahora2016G.R.E.S. EM CIMA DA HORA
CARNAVAL 2016

ENREDO: NA ROTA DAS ESPECIARIAS: O LEVA E TRAZ DE CHEIROS, AS SURPRESAS DA NOVA TERRA.

Crenças e costumes

O Egito antigo construiu uma sociedade extremamente religiosa que determinou práticas culturais e sociais, sendo uma delas a crença na imortalidade.
Acreditava-se que, após a morte, a alma comparecia ao tribunal do deus Osíris para o julgamento pelos seus atos em vida. Inocentada, a alma poderia voltar a ocupar seu corpo se o mesmo tivesse condições de recebê-la. Para isso, o corpo precisava ser embalsamado com especiarias perfumadas e bandagens de linho branco, o que para os antigos egípcios era um ritual sagrado.
Assim, os faraós tinham a esperança de que os espíritos voltassem para retomar seus corpos e terem a vida eterna após a morte.

A saga no Oriente

As especiarias do Oriente eram valiosas, estavam longe e demoravam para chegar às mesas ocidentais. Por séculos, os árabes haviam sido os donos absolutos desse comércio, mantendo segredo sobre suas rotas.
A partir do século XII, Veneza foi entrando no cenário mercantil com Gênova. Com boa estratégia comercial e grande apreço ao luxo, aos poucos estabeleceu parceria com os árabes. Os países europeus que quisessem comprar especiarias tinham que recorrer aos comerciantes italianos, que possuíam o monopólio desses produtos.
No século XV, aquele ir e vir de mercadores tornou-se difícil, pois os turcos otomanos tinham fechado as rotas comerciais. No mar, complicaram a vida dos árabes afundando seus navios, e estes perderam, de vez, o domínio do Mediterrâneo fazendo com que novas rotas fossem descobertas.
Quando se tratava de mares desconhecidos era muito comum o medo gerado pela falta de conhecimento e pela imaginação da época. Encontrar um novo caminho para as Índias era uma tarefa difícil, porém muito desejada. Os portugueses tinham uma frota embicada para o Atlântico e conhecimentos náuticos suficientes para empreitada rumo ao Oriente.

Em busca dos tesouros

As riquezas do Oriente cintilavam nos sonhos europeus. Numa das maiores aventuras empreendidas na era moderna, os portugueses se lançaram aos mares abrindo caminhos até elas. Riquezas significavam as mais desejadas especiarias – indispensáveis para conservar os alimentos – e ainda marfim, escravos, ouro, pedras preciosas, sedas, pau-brasil e outros bens apreciados pelos ocidentais. Costeando a África alcançariam a Índia, marco da saga que se desenrolaria pelos mares, onde terras seriam descobertas.
As viagens pelo Atlântico fariam do século XVI a fabulosa era dos descobrimentos, com a revelação de um extenso continente revestido de florestas, gente nua e avermelhada integrada às matas e aos bichos e outras incríveis surpresas que enriqueceriam os portugueses.

Desenvolvimento, pesquisa e texto: Raphael Torres e Alexandre Rangel

Share via email

Em Cima da Hora inscreve para ala de passistas

GEDSC DIGITAL CAMERAA Em Cima da Hora retoma nesta quarta (15) seus ensaios com sua tradicional ala de passistas, que agora tem a coordenação de Jefferson Moura e Mário Henrique, e abre inscrições para novos componentes do segmento.
Os interessados devem comparecer a seleção que acontece todas às quartas-feiras, às 20 horas na quadra agremiação, e procurar um dos coordenadores, portando os documentos necessários e 2 fotos 3×4.A quadra da escola fica situada na rua Zeferino da Costa, 556, em Cavalcanti, com entrada franca.

Share via email

Em Cima da Hora entrega sinopse nesta 3a

logoemcimadahora2016Nesta terça-feira (14), a partir das 20 horas, a Em Cima da Hora realiza em sua quadra a entrega da sinopse do enredo para o carnaval de 2016, “Na rota das especiarias: O leva e traz de cheiros, as surpresas da nova terra”, dos carnavalescos Alexandre Rangel e Raphael Torres.
O vice-presidente da escola, que já foi compositor da agremiação, Ivani Ramos, comentou sobre sua expectativa das obras:

“Como compositor, fiquei 4 anos a frente dessa ala, sabendo da grandeza que ela tem. Tenho certeza que os amigos compositores do mundo do samba honrarão esse pavilhão com excelentes obras. Aguardamos essa quadra cheia amanhã. Queremos trazer de volta a escola compositores da casa que por algum motivo acabaram se afastando, e novos compositores, que admiram a escola e por algum motivo acabam não colocando samba aqui. Nessa casa, assim como eu sempre fui, todos os compositores serão tratados com o máximo respeito!”

Além da entrega da sinopse, os carnavalescos farão uma breve explanação do enredo, e tirarão dúvidas dos compositores, assim como a direção de carnaval da escola já informará a data de entrega e os requisitos para a mesma.
A quadra da escola fica situada na rua Zeferino da Costa, 556, em Cavalcanti, com entrada franca.

Share via email

Em Cima da Hora contrata porta-bandeira gaúcha

GEDSC DIGITAL CAMERAA Em Cima da Hora, agremiação que em 2016 mostrará seu desfile na Intendente de Magalhães pelo Grupo B, anunciou que, para o próximo ano, apostará na experiência de uma porta-bandeira gaúcha para defender seu pavilhão principal.

Com 21 anos de carreira e 8 prêmios Estandarte de Ouro conferidos pelas suas apresentações defendendo as principais escolas de Porto Alegre, Gislaine Silveira, vai estrear no carnaval carioca com a responsabilidade de defender , ao lado do mestre-sala Yuri Souza, o pavilhão azul e branco em busca das notas máximas na luta de ajuda a escola a regressar à Série A. Morando no Rio de Janeiro há 1 ano, Giza tem alternado sua rotina com viagens constantes a Porto Alegre, onde ainda defende o pavilhão da escola de samba Estado Maior da Restinga, uma das mais tradicionais agremiações do carnaval gaúcho.

– Estou super feliz com esse convite. Embora tenha defendido escolas tradicionais e integrantes do Grupo Especial de Porto Alegre, aquele popular friozinho na barriga é notório. Estar no Carnaval do Rio é vontade de todo profissional e ainda mais com a missão de ajudar a Em Cima da Hora a alcançar o sonho de retornar à Sapucaí, disse Giza, como é conhecida a porta-bandeira.

A apresentação de Giza acontecerá no próximo dia 12, data em que a Em Cima da Hora vai comemorar seu aniversário com uma feijoada. Na ocasião, toda a equipe para o Carnaval 2016 será apresentada.

Share via email

Niu Souza é o novo intérprete da Em Cima da Hora

niusouzaNa noite de sexta-feira (26), a Em Cima da Hora acertou a contratação de sua nova voz oficial:  Niu Souza. O jovem cantor tem passagens marcantes pela Sabiá (Niterói), Unidos do Viradouro e Unidos Da Vila Santa Tereza e chega para um novo desafio em sua carreira.
Niu comentou sobre sua chegada e já fez um pedido para a comunidade: “Primeiramente, tenho que agradecer ao presidente Wando Antunes e ao Junior Santos pela confiança. Estou muito feliz em ter sido escolhido para assumir a voz oficial da escola, que possui uma galeria de sambas antológicos. É uma responsabilidade grande, e por isso, o povo de Cavalcanti pode esperar muito empenho e dedicação pra levar nossa escola para o grupo de cima, de onde ela não devia ter saído.”

Niu e sua equipe fará sua estreia na escola na festa de posse e apresentação do enredo no dia 12/7, a partir das 14 horas, com entrada franca. A quadra da escola fica situada na rua Zeferino da Costa, 556, em Cavalcanti.

Share via email

Em Cima da Hora divulga enredo

logoemcimadahora2016A Em Cima da Hora anunciou o enredo e a logo para o Carnaval 2016. A escola de Cavalcante, que irá desfilar no Grupo B, na Intendente Magalhães, irá apresentar o tema “Na rota das especiarias: O leva e traz de cheiros, as surpresas da nova terra.”, dos carnavalescos Alexandre Rangel e Raphael Torres.

 

Share via email

Fotos do ensaio da Em Cima da Hora

Veja as fotos do ensaio técnico da Em Cima da Hora, de autoria de Felipe Araújo.

Share via email

Sambas dos ensaios de 20/12

Ouça os sambas das escolas que ensaiaram na Sapucaí no último sábado (20) em exclusivas versões ao vivo da Rádio Arquibancada

Unidos de Bangu

Em Cima da Hora

Alegria da Zona Sul

Share via email

Ciganerey na Em Cima da Hora

Foto: Marcelo O´ReillyPelo Twitter, a Em Cima da Hora anunciou a contratação do intérprete Ciganerey. Voz conhecida no mundo do samba, o puxador de 49 anos já teve passagens pela Mangueira, Alegria da Zona Sul, Arranco e Paraíso do Tuiuti – época em que recebeu dois prêmios S@mba-Net de melhor intérprete. No últmo carnaval,Ciganerey defendeu as cores da Inocentes de Belford Roxo. Ele chega para assumir o lugar deixado por Antônio Carlos e Arthur Franco, que apesar de convidados a permanecerem na escola, decidiram seguir novos desafios.
A apresentação de Ciganerey está marcada para a próxima quarta-feira (06), na quadra da escola, que segue com a disputa de samba de enredo para 2015.

Foto: Marcelo O´Reilly (Academia do Samba)

Share via email

Em Cima da Hora com novidades na CF

Coreógrafo Jardel Augusto Lemos contou, em primeira mão, o que o segmento prepara para surpreender o público na sexta-feira de Carnaval

MICHAELL GRILLO

Ao longo da última década, a comissão de frente é um dos quesitos que tem despertado maior interesse por parte de quem assiste aos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro, seja no Sambódromo ou pela TV. Cientes de que o público espera ver mais do que uma apresentação cênica, as comissões de frente investem, cada vez mais, no espetáculo. E não será diferente com a Em Cima da Hora, agremiação de Cavalcante, Zona Norte do Rio, que após uma década na Intendente Magalhães regressa ao templo maior do Carnaval, a Sapucaí.

Na intenção de saber o que a Em Cima da Hora prepara para abrir oficialmente a maratona de desfiles 2014 no Sambódromo, a Rádio Arquibancada conversou com exclusividade com Jardel Augusto Lemos, coreógrafo da comissão de frente da agremiação. O jovem dançarino compara o seu trabalho a uma flor que desabrocha dia a dia para o sucesso e revela que conta com o total apoio do presidente Heitor Fernandes e do carnavalesco Marco Antônio, que compraram as suas ideias.

– A diretoria, o carnavalesco, de quem partiu o convite para eu vir para a Em Cima da Hora, e a presidência apoiam minhas ideias e me dão liberdade de criação para que eu possa mostrar o meu trabalho, relata Jardel.

Bacharel em dança pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Jardel revelou que a comissão de frente da Em Cima da Hora será inovadora, em uma verdadeira mistura de linguagens artísticas e elementos cênicos.

– Vocês podem esperar muita arte, dança e movimento de nossa comissão. Iremos trabalhar com diversidade de linguagens artísticas, o que sempre é muito bom aos olhos do folião. Muitas coisas vão acontecer desde o Setor1. Anossa coreografia foi estudada e montada em cima do enredo. Fiz uma viagem ao sertão da Bahia, li o livro de Euclides da Cunha (de mesmo nome do título do enredo) e trouxe movimentos típicos para o trabalho, o que, com certeza, trará uma identificação direta para quem estará nos vendo. Serão elementos cênicos que trarão várias surpresas, além de um lindo figurino de responsabilidade do artista Fernando Magalhães – confidencia o coreógrafo.

De acordo com Jardel Augusto Lemos, a comissão irá se apresentar com quatro elementos cênicos, isto é, objetos que irão ganhar vida e ajudar a interpretar o enredo junto com os movimentos de dança.

-Nossos componentes (15 componentes ao total, sendo nove mulheres e seis homens) irão representar bonecas de marionetes e seus ‘apresentadores’. Em relação aos elementos cênicos, o primeiro objeto, utilizado pelos componentes por toda a Avenida, irá representar a rebeldia do povo de Canudos, no Sertão baiano. O segundo elemento, também presente em todos os momentos de exibição do grupo, dará a comissão toda a força e a rigidez que o enredo pede. O terceiro elemento, utilizado somente nas apresentações para os jurados, está diretamente ligado ao significado da comissão de frente dentro do desfile. Já o quarto elemento é mais poético, proporcionando maior interação com o público presente na Sapucaí, revela Jardel Lemos, que garante um espetáculo feito para todos os que estiverem no sambódromo e não apenas nos setores localizados em frente às cabines julgadoras:

– “Aprendi muito bem com a Ghislaine Cavalcanti (atual coreógrafa da comissão de frente da Portela) que uma comissão de frente se apresenta igual e para todos do início ao fim. Estamos preparados para arrepiar quem estiver da primeira à última arquibancada”, destaca o coreógrafo.

Acerca do regulamento da Série A proibir o uso de tripés nos desfiles das agremiações à ela filiada, sobretudo nas comissões de frente, Jardel revela não ter uma posição formada até o momento:

– “Sou contra e a favor ao mesmo tempo”. Se levarmos em conta o fato de as escolas, em muita das vezes, se apropriam do tripé para não mostrarem coreografias, deixando para bailar apenas para o jurado, esquecendo que existem foliões que pagam pelo espetáculo, do início ao fim da passarela, sou a favor da proibição, mas se eu pensar pelo fato de que na elite do Carnaval, os tripés são permitidos, me coloco contra a proibição, pois seria uma maneira de eu ganhar experiência. “Assim, quando eu vier a coreografar alguma comissão de frente do Grupo Especial, eu teria alguma base” – revela, sem titubear, o jovem coreógrafo.

Ciente da árdua missão em abrir o carnaval carioca, Jardel deixa um recado aos componentes da agremiação e pede ao público para não deixar de assistir a primeira Escola de Samba a desfilar no Carnaval 2014.

– O retorno da escola à Sapucaí, assim com esta poesia em forma de samba, traz boas expectativas ao coração de muita gente. Faremos um desfile para marcar mais uma vez a história do carnaval. Por isso é interessante não se atrasar. Gostaria de agradecer à minha equipe, aos meus intérpretes e à toda a direção da escola. Ao carnavalesco que me presenteou com uma ala e um carro coreografados (Além da comissão de frente, Jardel Lemos também será o responsável pela coreografia da alegoria “Guerra de Canudos”, assim como da ala que representa a família dos retirantes). Agradeço também ao Centro Cultural Carioca pelo segundo ano consecutivo de parceria. E, claro, agradeço à comunidade da escola que me recebeu com muito amor e carinho – declara Jardel.

Jardel Augusto Lemos foi o responsável pela comissão de frente da Acadêmicos do Cubango em 2013, além de ter participado, enquanto componente, de comissões em várias escolas, tais como: Rocinha, União da Ilha e Beija-Flor. Em 2014, além de coreografar a comissão da Em Cima da Hora, irá desfilar na comissão da Portela, sob o comando de Gislaine Cavalcanti.

A comissão de frente da agremiação da Zona Norte ensaia todas as quartas-feiras, na Rua Zeferino da Costa, 556, em Cavalcante, a partir das 20h. A Em Cima da Hora será a primeira escola a desfilar na sexta-feira de Carnaval, 28 de fevereiro, pela Série A, com o enredo “Os Sertões”, desenvolvido pelo carnavalesco Marco Antônio.

Share via email