Manchete
Like

Cid Carvalho fala de sua saída da Vila

14 de novembro de 2013
203 Vizualizações
0 Comentários
3 minutes read
Cid Carvalho fala de sua saída da Vila

Em entrevista a Anderson Baltar, o carnavalesco Cid Carvalho fala de sua saída da Vila Isabel. Clique no player abaixo para ouvir e leia os principais pontos da conversa.

O porquê da saída da Vila Isabel

” Fui para a Vila porque já havia conseguido fazer carnavais na Mangueira e na Mocidade, com muitas dificuldades. E eu me surpreendi com o que encontrei na Vila. É uma escola que está com problemas e não conseguiu encontrar um caminho para minimizar os problemas. Nós temos um barracão com um carro na madeira e um na ferragem. O ateliê está praticamente parado porque o material não chega. Só a ala das baianas que começou a confecção e também foi feita a gola de uma fantasia chamada Cavalo Marinho que foi feita.  Pô, estamos falando da campeã do Carnaval!”

“Toda semana diziam que iria melhorar e, até o dia 14 de novembro, não aconteceu praticamente nada em relação ao projeto do carnaval. A escola não consegue assim colocar um carnaval competitivo na rua. E se a escola não consegue voltar no sábado das campeãs, a culpa é direcionada ao carnavalesco. O que assustou foi não ver a luz no fim do túnel”.

A tomada da decisão

“Falei do meu cansaço e me pediram para esperar. Saíram parcelas da Liga e, nem assim o projeto largou. A coisa estava muito lenta. Não quero debater quem está certo ou está errado. É só ir no barracão para ver quem está falando a verdade”.

O que faltava do projeto

“Já tinha quatro carros prontos e outros três para finalizar. Fantasiasa todas prontas. Todos os destaques e figurinos de casais prontos”.

Como foi a conversa com a escola

“Não é fácil. Carnaval é um filho, a gente acaba deixando para trás. Minha tomada de decisão foi muito mais pela Vila Isabel e pelo carnaval. Não se pode trabalhar no Maior Espetáculo da Terra sem os funcionários do barracão recebendo. As escolas precisam rever as administrações de seus carnavais”.

O que a escola prometeu

“Eu era carnavalesco da Mangueira e todas as chapas que disputaram a eleição me ligaram. Fiquei muito feliz com os convites, mas decidi ir para a Vila. A Vila me trouxe pela força do argumento, dizendo que eu teria condições de desenvolver meu projeto. E infelizmente temos um barracão praticamente parado”.

Futuro

“Pretendo descansar muito. Não tenho vaidade de ser carnavalesco. Se tiver que zerar tudo em minha vida, não tem problema”.

Fechado para novos comentários.