Império Serrano
Like

Conheça a justificativa do enredo do Império

24 de março de 2015
166 Vizualizações
0 Comentários
4 minutes read
Conheça a justificativa do enredo do Império

bandeiraimperioserranoO carnavalesco do Império Serrano, Severo Luzardo, divulgou, em sua página no Facebook, a justificativa do enredo “Silas, canta Serrinha” que homenageará o morro da Serrinha através da figura do compositor Silas de Oliveira.  No tópico, o carnavalesco explicou que o enredo de 2016 é a segunda parte de uma trilogia a ser concluida em 2017. “O Império Serrano está calçado por três pilares sólidos: A fé (que falamos no carnaval passado), a Raíz (que falaremos no próximo) e a herança. Isto é um projeto da diretoria. Não é nada por acaso. Nosso foco sempre será a tradição Imperiana e seu legado para o carnaval do Brasil”, afirma Severo.

Leia o texto:

Ah Serrinha!
Pelas bênçãos de todos os deuses do carnaval, vamos cantar a poesia de um lugar especial: Serrinha, esta maravilha de cenário!
Com a alma imperiana, Silas de Oliveira, fez da Serrinha, o seu poema mais bonito, a sua morada, o seu carnaval. Nos quintais da Balaiada, ele cantou versos, retratando o dia-a-dia da sua gente, inebriado pelo samba, pelo jongo, pela negritude e pela alegria! No chão batido dos terreiros recebeu o axé de um povo simples, mas nobre, que herdou a magia ancestral de fazer batucada na palma da mão. A arte de fazer o samba de roda para ver a saia rodar no chão e levantar poeira.
Assim, com pequenos detalhes repletos de emoções e sentimentos, a Serrinha será retratada no amor pela melodia, pelo verso e pelo dom que o sambista tem de festejar sempre, para celebrar todos os momentos da vida.
Na transversal do tempo, veremos a Serrinha ser povoada e ser colonizada: os negros plantando sementes de miscigenação. Veremos o comércio surgir, tanta coisa mudar e a Serrinha se transformar num dos maiores centros autênticos e tradicionais de cultura do Rio de Janeiro, ganhando o mundo essencialmente através da arte, do jongo e do samba!
Foi assim que o morro desceu o asfalto como passarela! Hoje, nos juntamos a Silas e a cada guerreiro imperiano e nos embriagamos de paixão pelos becos e vielas da Serrinha, em plena Marquês de Sapucaí! Com a Sinfônica do Samba, queremos mais uma vez ouvir o toque do agogô ao lado de Eulália, Molequinho, Fuleiro, Aniceto e Mano Décio. Eles que são os nossos grandes “Heróis da Liberdade”!
O Império Serrano é a mais pura tradução da raiz e da herança deixada pelos braços destes nobres baluartes. Eles formam um chão repleto de estrelas que nos ilumina com sua história. Silas emoldura a aquarela do Brasil, com o sangue verde da esperança e branco da paz. É a voz do Império Serrano, é a voz da Serrinha! O episódio relicário imortalizado pelo artista num sonho genial.
Silas canta Serrinha!

Fechado para novos comentários.