Estácio de Sá
Like

Estácio tira dúvida dos compositores nesta quarta

1 de julho de 2015
111 Vizualizações
0 Comentários
2 minutes read
Estácio tira dúvida dos compositores nesta quarta

chicospinozaApós o anúncio da sinopse do enredo que versará sobre a história de São Jorge, um dos santos mais populares da igreja católica, o trio de carnavalescos da Estácio de Sá está disponível na noite desta quarta-feira para atender aos compositores da vermelho e branco que queiram tirar suas dúvidas acerca do tema.

Amaury Santos, Chico Spinosa e Tarcísio Zanon estarão presentes na quadra da escola a partir das 20h para conversar com os poetas, os quais serão atendidos individualmente pelos artistas.

Além da desta quarta, 01 de julho, estão programados mais dois encontros com os poetas do Berço do Samba, que terão ainda os dias 8 e 15 de julho para aperfeiçoar suas composições. A entrega dos sambas acontecerá no dia 5 de agosto, das 18 às 22h, na quadra da escola. A disputa é aberta para compositores de fora da ala, porém, para participar do concurso, os compositores deverão atender aos seguintes critérios:

– somente serão aceitas inscrições de até 5 compositores por obra;
– para validar a participação na disputa de sambas, as parcerias deverão entregar 30 cópias da letra do samba além de 5 cds com o samba gravado em MP3.

Uma Noite no Berço do Samba terá três convidadas nesta sexta

Dando sequência à terceira edição do evento “Uma Noite no Berço do Samba”, a Estácio de Sá terá convidadas três agremiações nesta sexta, 3 de julho. Acadêmicos da Rocinha, São Clemente e Grande Rio, visitarão a primeira escola de samba do Brasil para uma confraternização de bambas que terá início às 23h. A entrada custa R$20.

A apresentação dos concorrentes ao hino de 2016 acontecerá no ensaio do dia 7 de agosto, a partir das 23h. Em 2016, a Estácio de Sá marcará seu retorno ao Grupo Especial abrindo os desfiles do grupo de elite do Carnaval carioca com o tema “Salve Jorge! O guerreiro na fé”. A quadra da Estácio de Sá fica na rua Salvador de Sá, 206 – 208.

Fechado para novos comentários.