Manchete
Like

Homenagem a Luizito

6 de setembro de 2015
229 Vizualizações
0 Comentários
4 minutes read
Homenagem a Luizito

Em homenagem ao intérprete da Mangueira que faleceu na manhã deste domingo (06), a RÁDIO ARQUIBANCADA preparou uma playlist com os sambas que Luizito gravou pelas escolas por onde passou. E também reproduz uma matéria escrita por Anderson Baltar e publicada na Revista de Carnaval da Mangueira de 2015, que conta a história do desfile de 2007, quando o intérprete se apresentou após a recuperação de um princípio de infarto no ensaio técnico e conduziu a verde e rosa a um grande desfile.

Um anjo na vida de Luizito

Anderson Baltar

materiarevistamangueiraDaquele domingo, 28 de janeiro de 2007, o intérprete Luizito jamais se esquecerá. Após vários anos integrando o carro de som da Mangueira, o cantor estava na Sapucaí comandando, pela primeira vez, o canto da verde e rosa – o grande mestre Jamelão estava afastado da escola por conta de um AVC e não mais retornaria, vindo a falecer no ano seguinte.

Em meio à ótima interpretação, um susto. Pouco antes de terminar a apresentação, Luizito passou mal e foi socorrido ainda na pista. Diagnóstico: princípio de infarto no miocárdio. Retirado do Sambódromo de ambulância e prontamente internado no Hospital de Cardiologia de Laranjeiras, o cantor passou a ser dúvida no desfile da verde e rosa. Durante semanas, a imprensa especulou se ele iria desfilar e os laudos médicos não indicavam ser muito prudente defender o samba da Mangueira no palco maior do samba: “Fui a mais de 20 médicos e todos me proibiram de desfilar. Afinal, estava com 80% de entupimento em quatro artérias. Mas eu não queria ficar de fora de jeito nenhum”, lembra Luizito, que desfilou graças a uma autorização médica conseguida a poucos dias do carnaval.

Durante o desfile, Luizito contou com um grande anjo da guarda: o diretor de harmonia Edinho, que se dedicou exclusivamente ao intérprete. “O Edinho foi um grande amigo e me ajudou demais. Ele desfilou de costas para a avenida, cuidando de mim. Me olhando, me dando água e enxugando meu suor. Ele deixou de curtir o carnaval dele e não cuidou da escola da avenida para se dedicar a mim. Sou eternamente grato a ele pelo grande ato de solidariedade que ele teve comigo. Jamais me esquecerei”, emociona-se Luizito.

Após aquele carnaval, o intérprete realizou uma cirurgia e colocou cinco pontes de safena no coração. E hoje prepara-se para o seu décimo oitavo desfile pela verde e rosa. “Sei da emoção que esse samba traz, mas o médico me garantiu que do coração eu não morro mais. Com isso, posso assegurar que darei o meu melhor e que a Mangueira fará um desfile antológico, como não faz há muitos anos. Vamos sacudir a Sapucaí e conquistar, se Deus quiser, mais um campeonato”, afirma o intérprete.

Fechado para novos comentários.