O Mundo do Samba
Like

Leia a sinopse da Unidos de Padre Miguel

20 de maio de 2013
92 Vizualizações
0 Comentários
6 minutes read
Leia a sinopse da Unidos de Padre Miguel

Enredo: ‘Decifra-me ou te devoro: enigmas – chaves da vida’

 

A curiosidade é madrinha da evolução. Um enigma pode custar a vida.  Pode também fazer ganhar a vida. Não se acomode. Investigue, inquiete-se, escave, suponha, pense. Os enigmas são intrigantes motivos que desafiam e fazem caminhar a humanidade.

Mistério maior é o homem. A cada solução nos encontramos um pouco mais. Aventure-se. Busque. Devora os enigmas para que decifrem que és. Cofre aberto, tesouro resgatado, tumba encontrada. Buscando respostas encontramos a humanidade.Enigmas  são chaves. Quando desvendados, abrem portas para novas possibilidades. Quando encobertos, desafiam e nos fazem caminhar.

Envolva-se. Uma solução traz recompensa. A redoma aberta faz o conhecimento triunfar. Devorar enigmas, dedicar-se a descobrir: triunfar por compreender…

Vista sua fantasia, lance seus palpites. Proponha e reproponha. A noite é do mistério do quebra-cabeças da humanidade. Encaixe uma peca, encontre outra. Divirta-se com questões que desafiam. Veja-as diante de seus olhos. Elas são motivo para a brincadeira da vida. Inverta o jogo. Descubra enquanto der, solucione o que puder e acabará por se decifrar. Compreendendo mistérios encontramos as chaves que nos permitem compreender a nós mesmos e a humanidade.

 

Primeiro mistério ou mensagens cifradas de civilizações passadas. 

Ouça o silencio  eloquente de paredes e monumentos. Ele esclarece duvidas que nem sabemos quais. Que mensagens nos trazem? Com que advertências nos aconselham? Pirâmides, esfinges, Moais, Cabeças de Lá Venta, Stonehenge, Pedra do Ingá. Bilhetes cifrados dependurados na historia contando a saga de duzentos mil anos da humanidade. Hieróglifos indianos, o que dizem? A Alexandria submersa, o que guarda? As linhas de Nazca, o Calendário Maia, para onde apontam? Maravilhe-se com o Egito, guardião de incontáveis segredos. “Converse” com múmias, obtenha do tempo o que ele contar. A cada resposta de que o passado e o melhor revelador dl futuro.

Segundo mistério ou ser ou não ser- a máquina da vida, os segredos da morte e as questões existenciais

 

Não há enigmas só lá fora. Aceite o desafio de sus voz interior. Na batida do surdo há um pulsar. De onde essa forca, o que ergue essas mãos? Que mágicos e intrincados enigmas engendram-se entre si para o milagre acontecer? O que há no micromundo bailado da vida? Com quais letra se escrevera DNA? Quantas charadas terá a vida? A maquina que te trouxe é a mesma que te levara…

Esta morre comigo… Alguém voltou para contar? Passado o portão, badalado o sino, como será por lá? Barulhos de toda sorte… Olha a batida na porta… Em mensagem de gente morta se pode confiar?

Da casa assombrada, o motivo? Quem estará a vagar: a mulher que morreu de saudade ou a bruxa secular?

Mas a morte é terreno guardado, difícil de pesquisar. Vamos pedindo licença, buscando entendimento… Vivendo com consciência que cada um tem o seu tempo…

De onde viemos? Para onde vamos? Deus existe? Vida após a morte? Livres ou predestinados? Responda “seus nossos” enigmas. E para nao ser devorado, encontre uma saída no labirinto de Creta. Pense, exista, recorra aos mitos. Seu desafio é encontrar seu próprio fio existencial.

 

Terceiro Mistério ou o que é o que é – enigmas lúdicos

Agora, desfranze essa testa. Vai, desvendar é se divertir-se o tempo todo! Você pode encontrar solução. Rastreio pistas, elimine hipóteses, faca cálculos, encontre a palavra. A curiosidade é amiga, e se nao mata, intriga! Se nao souber, a forca… É preciso descobrir o assassino. Eu faço a mímica, você caca a palavra! Quebre a cabeça… Uma fruta com a letra T!?! Onde eles estão escondidos? Ops… um, dois, três, pique-boia Juarez… Vem tentar comigo alinhar o cubo, adivinhar personagem, dizer se estou de lona na purrinha. Resolver é tao gostoso que tem gente que vive de “inventar problema”.

 

Quarto Mistério ou como será o amanhã – o enigma do futuro

O que tanto se procura esta na palma da mão. Na leitura complexa da revelação. Nos olhos “oblíquos e dissimulados” de uma cigana. Um arcano do taro, uma pedra runa, um búzio no mar… Ifa! Corte em três, embaralhe. Um rato e uma foice. O que diz meu futuro?

– Esta meio impreciso, é tentar confirmar…

Como será o amanha? Esse mistério gostoso, que pose muito importar, a Unidos deixa contigo. É o seu carnaval pessoal. Cabe mesmo a ti, fazendo um enredo da vida, desvendar, passo por passo, esse grande mistério que se chama você…

 

Edson Pereira – Carnavalesco

Fechado para novos comentários.