Boi da Ilha
Like

Leia a sinopse do Boi da Ilha

26 de maio de 2014
142 Vizualizações
0 Comentários
12 minutes read
Leia a sinopse do Boi da Ilha


O Boi da Ilha divulgou sua sinopse neste domingo (25). A escola, que desfilará no Grupo D, não abrirá concurso de samba-enredo. A obra será encomendada a um grupo de compositores da agremiação.

Segue a sinopse:

ENREDO 2015 – “ PEDIMOS LICENÇA PARA APRESENTAR 50 ANOS DO BOI DA POESIA ”

AUTOR DO ENREDO  –  MANOEL JUNIOR

CARNAVALESCO  –  COMISSÃO DE CARNAVAL

 

Objetivo do enredo

Quando falamos em fazer carnaval no Boi da ilha, qualquer artista (carnavalesco) se sente tranquilo em relação aos sambas que serão apresentados, pois sabemos da grande competência destes compositores que sempre compõem valorosos sambas, descerrando uma grande disputa durante a escolha do mesmo e brindando com o mais belo. Na maioria das vezes garantindo 10, recebendo prêmios e ajudando a escola a escrever a sua História.

Neste enredo tenho como objetivo de prestar uma grande homenagem a esses guerreiros da musica e da poesia, que com suas composições dão a melodia de nossos desfiles, Quero relembrar passando por todos os anos, e lembrando os sambas enredos e seus compositores. Homenageando os nossos intérpretes de todos esses anos. Ressaltando nossos campeonatos e seus prêmios individuais – Estandarte de ouro e muito mais.  Faremos uma homenagem a esses compositores que travam batalhas para defender seus sambas, com um só objetivo, o melhor para a escola.

Não será possível citar todos os nomes. O Boi tem uma historia linda e temos que contar e prestar esta homenagem a vocês compositores e seus sambas enredos – Não nos esqueceremos do ritmo que sempre foi marcado por uma bateria nota 10 – CADÊNCIA INSULANA impecável que garante a nossa harmonia.

Fico feliz em poder iniciar este enredo com o Deus Apollo – Deus místico da musica – símbolo do astro rei que irradia energia solar sobre todos e ate mesmo sobre a Lua parceira dos compositores. Passeando pelos sambas enredos do Boi, iremos por vários lugares deixando claro que temos que respeitar essas cores, essas pessoas guerreiros boiadeiros que tem orgulho em defender este pavilhão.

Nutrindo a nossa imaginação, viajando entre versos e letras, recitando verdadeiras poesias e cadenciando um ritmo alucinante, iremos montar sambas formando uma colcha de retalhos, mas não será uma colcha qualquer terá um pouco de nos, a cada ponto e arremate ou alinhavo, tem uma recordação. Retalhos maravilhosos cheios de historia e tradições, harmonizar esta cadencia e viajar entre todos os sambas dos ultimo 25 anos como escola de samba homenageando assim os cinquenta como agremiação, desde os tempos do histórico Boi da Freguesia. A imaginação irá bem além. Trará as grandes vozes do Boi na avenida.

Brindaremos ao futuro nesse dia e aos nossos samba e seus compositores. Citaremos nossos prêmios e campeonatos e não deixaremos de fora a nossa bateria que garante o ritmo e a harmonia que integra e dá “cadencia insulana”.

Nesta viagem no ESPLENDOR DA SEDUÇÃO e entre os enredos daremos ASAS A IMAGINAÇÃO, fazendo o BRASIL DIZER NO PÉ, com a proteção do REI NAGO, NOSSA MAJESTADE, o BOI MOSTRA SUAS FESTAS, DAS TERRAS DO CONGO AO REINADO DE LUZ, sem esquecer que o BOI DA SORTE, sorte esta que faz do RIO DE JANEIRO, PARAÍBA SIM SENHOR já dizia os visitantes em nossa cidade maravilhosa, viajando para o CONGO NAS TERRAS DE CHICO, pagando as promessas no CÍRIO DE NAZARÉ, e honrando nossos índios na SAGA DE KANANCIUÊ DO MUNDO CARAJÁ, nosso guerreiro PARANAPUÃ NA MEMORIA DE UMA NAÇÃO.

ORUN-AYÊ é nosso orgulho e mundo espiritual revelando a sua dupla existência, sentiremos o cheiro de HOLAMBRA A TULIPA BRASILEIRA, comemorando os 500 ANOS DE CABO FRIO, brincaremos com a CRIAÇÃO DE UM MUNDO NOVO, UNI DUNI TE, iremos encantar você nas AGUAS DE OXALÁ. O AMANHÃ, que amanhã! Lembrança de nossa coirmã, que diz SE LIGA TEM BOI NA LINHA, pedimos proteção a GAIA, REAÇÃO DA MÃE TERRA, contaremos esta historia, onde ABRIMOS AS CORTINAS DO MUNICIPAL NA SAPUCAÍ, e do SAGRADO E DO PROFANO QUEM DIRIA O BOI FOI PARAR NA FREGUESIA, teremos FORÇA DA VIDA com UARANA CE CE, com certeza RECOMEÇAREMOS O DIVINO, usando nossas MASCARA NA SEDUÇAO NA FESTA DA FOLIA, e ficaremos românticos com O PIERROT APAIXONADO. Depositaremos todas as nossas lembranças no BOI DA POESIA.

 

ENREDOS DO BOI DA ILHA DO GOVERNADOR

1989 – O Esplendor da sedução

1990 – Dê asas à imaginação

1991 – Diz no pé Brasil

1992 – Sua Majestade, o rei Nagô (Homenagem a Xangô do Salgueiro)

1993 – O Boi mostra e faz suas festas

1994 – Das terras do Congo ao Reinado da Luz

1995 – O Boi dá sorte

1996 – Rio de Janeiro, Paraíba sim senhor

1997 – Galanga no Congo, Chico em terras de Vila Rica.

1998 – Círio de Nazaré

1999 – A saga de Kananciuê na aurora do Mundo Carajá

2000 – Paranapuã – Governador na história de uma Ilha, memórias de uma nação.

2001 – Orun-Ayê

2002 – Boi da Ilha é Holambra, a tulipa brasileira

2003 – Em 500 anos de glória, Cabo Frio conta sua história.

2004 – Uni, Duni, Tê, brincando construí um mundo novo pra você.

2005 – As Águas de Oxalá

2006 – O Amanhã (Reedição da União da Ilha – 1978)

2007 – Alô, alô, se liga, tem boi na linha!

2008 – Gaia, a reação da Mãe Terra – Uma história que deve ser contada de outra maneira.

2009 – Abram-se as cortinas! Bravo! 100 anos do Teatro Municipal em cena aberta da Sapucaí

2010 – Do sagrado ao profano… e o Boi, quem diria, foi parar na Freguesia

2011 – Uarana cé cé! Força da vida

2012 – Fim – Recomeço divino. Até quando?

2013 – África, o esplendor das máscaras. Magia, encanto e sedução na festa da folia!

2014 – Um Pierrot apaixonado

 

Desta forma iremos passar pelos sambas e montaremos nossa colcha com retalhas enriquecido de ritmos e poesias lembrando-se de trechos e letras desta viagem, onde passamos por grandes vozes, que sempre representaram nossa escola com bravura e no ritmo certo, AROLDO MELODIA, QUINHO, MAURICIO 100, MARQUINHUS DO BANJO, ROGER LINHARES, RONALDO YLLÊ, CADINHO DA ILHA, NANDO PESSOA.

Muitos prêmio e campeonatos. Relembraremos com orgulho do estandarte de ouro em 2001, com certeza um grande estimulo para sempre fazer o melhor, sem falar que é um grande tributo a compositores que em seus momentos de criação fazem o melhor para o melhor.

Como diz nosso “refrão de ouro” “Não tenha vaidade a nossa força vem da humildade”, por isso o preto, vermelho branco tem que respeitar, essa cadencia e a nossa harmonia, lembraremos com orgulho nossos mestres da cadencia, que garantem o ritmo da poesia: Aurelio, Djalma, Tino, Pedrinho, Paulo Faquir, João Sergio, Jaime Tucano, Carioca, Bira, Jorjão, Toquinho, Odilon, Gilson Pantera, Jonas, Felício, Marcio, Sprito, Xula, Alan e Sagui, Luiz Fernando.

Invocaremos na avenida Jorge Bossa Nova, o compositor que deu nome a nossa antiga quadra e que diziam fazer samba na hora, improvisado. Pediremos por Miguel Pancácio, Jacaré, Luizinho Carne Seca e Jorge Carvalhada. Nomes históricos do Boi da Freguesia. Recitaremos Bujão. J.Brito, Carlinhos Fuzil, Marquinhus do Banjo, Pedro Lira, Maurício 100, Marcio André e Djalma Falcão, nossos poetas na transformação em escola de samba. Cantaremos Nando Pessoa, Paulo Travassos, Roger Linhares, Cadinho, Aloisio Villar e o apogeu de nosso Boi quando assustou grandes escolas. Agradeceremos a Ginho, Junior Nova Geração, Walkir, Gugu das Candongas e os novos talentos que sempre serão bem vindos e perpetuarão nossa escola.

Recordaremos João Sérgio que saiu do Boi para fazer seu amanhã na União da Ilha. Leôncio e Aroldo que sem esnobar vieram apresentar o nosso carnaval. Didi, o poeta doutor que dizia que seus melhores sambas na vida foram no Boi.

Uma homenagem a todos os compositores que já passaram pela nossa Escola. Roxinho, Leôncio da Silva, Luizinho, Regi, Bruno Revelação, Zeca, Jota Karlos, Gil Azeitona, Meia Noite, Clodoaldo Silva, Alvinho, Irany, Silvana da Ilha, Juca da Posse, Pedro Bengala, Fique Frio, Solange, Serginho da Ilha, Róbson, Ricardo Ribeiro, Dalmo Roth e Rose Joal, Nando Pessoa, Guido e Julinho, Grilo, Mestre Arerê, Jorginho Batuqueiro, Jorjão Jacaré, Welliton, Valfredo, Miguel e Patinho, Fábio Fernandes, Marquinho Marino, Rose Joal e Julinho, Ivan Pagodeiro, Professor, Nelsinho , Barbieri, Tino Ayres, Tote, Rafael Mikaiá, Rico, Rodrigo Cordeiro e Daniel Barbosa, Wagner Mariano, Paulo Marques, Renato e Thiago, e muito outros que fazem parte desta família de grandes compositores do Boi da Ilha.

Porque boiadeiro tem raça, se esmera e dedica seu amor ao pavilhão seja vestido de maestro e tocando violino no samba vencedor de S@mba-Net e troféu Jorge Lafond em 2009. Seja empurrando carro alegórico ou ajudando sujo de graxa a iluminar o mesmo na concentração. Boiadeiro ama o Boi, não abandona suas cores não importa onde esteja.

Por isso que vamos gritar REAGE BOI!

Pedindo licença para apresentar o nosso amor.

O Boi da Ilha do Governador.

Obrigado a todos e boa composição.

Manoel Júnior

Carnavalesco

Fechado para novos comentários.