Acadêmicos da Rocinha
Like

Mestre Maurão nega acerto com Cubango

13 de março de 2014
164 Vizualizações
0 Comentários
3 minutes read
Mestre Maurão nega acerto com Cubango

Mestre de bateria da Rocinha foi procurado pela agremiação de Niterói, mas só aceita conversar após término do contrato com a escola de São Conrado

Michaell Grillo

Frente aos boatos que circulam nas redes sociais, acerca da possível ida de mestre Maurão para a Acadêmicos do Cubango, a RÁDIO ARQUIBANCADA conversou com o diretor de bateria e traz em primeira mão, o que há de verdade e de boato no assunto.

De acordo com Maurão, ele ainda é profissional da Acadêmicos da Rocinha, agremiação rebaixada para o Grupo B no Carnaval 2014. Pelo menos até o próximo dia 31 de março, quando expira o contrato com a agremiação de São Conrado.

O comandante revelou ao site que não irá permanecer à frente da bateria ‘Ritmo Avassalador’, o que não significa que irá se ausentar da escola, uma vez que caberá à ele, a pedido do presidente Darlan Santos, a nomeação do substituto.

– O substituto virá de dentro da bateria da Rocinha. Eu e o presidente estamos analisando dois nomes dentre os meus diretores. Em breve, iremos anunciar o novo responsável pela bateria da ‘Borboleta Encantada’, revela mestre Maurão, antes de completar: – Não irei sair da Rocinha. Ajudarei em outra função. Apenas não serei mais mestre de bateria da Escola.

Maurão não negou que a Academia de Niterói tenha estabelecido contato, porém deixa claro que sentará para conversar e ouvir propostas, somente a partir de 1º de abril.

– De fato, o contato da Cubango existiu, mas ainda sou funcionário da Rocinha e estou em Salvador, no momento. Só aceito sentar e conversar quando encerrar o contrato com a minha atual agremiação, enfatiza Maurão.

Perguntado, acerca do possível contato da Imperatriz Leopoldinense, como também circulou na internet nos últimos dias, ele desmentiu que tenha ocorrido.

– Também ouvi isso (a sondagem da Imperatriz), mas não chegou nada até mim, analisa mestre Maurão.

Acerca do resultado do último carnaval que culminou com o rebaixamento da Acadêmicos da Rocinha (a escola obteve a penúltima colocação com 292,6 pontos), o músico aponta que o destaque da bateria no desfile foi fruto da organização de seus comandados:

– A lição que eu levo desse carnaval é a organização. Se você for bem organizado tudo vai bem. Justamente, foi isso que fizemos esse ano. Seguimos o cronograma estipulado, pois queríamos manter as notas máximas. No carnaval, o difícil é manter as notas ‘dez’, finaliza Maurão.

 

Fechado para novos comentários.