Grupo Especial
Like

Mocidade pedirá divisão de campeonato com a Portela

23 de março de 2017
3179 Vizualizações
0 Comentários
2 minutes read
Mocidade pedirá divisão de campeonato com a Portela

LUISE CAMPOS 

Ao que parece, o Carnaval 2017 ainda não tem data para terminar. Em coletiva de imprensa realizada no dia de hoje (23), a Mocidade Independente de Padre Miguel anunciou que entrou com recurso administrativo junto à Liesa (Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro) pedindo a divisão do título do Carnaval e da premiação correspondente. Na coletiva estavam a advogada Valéria Stellet, diretora jurídica da Mocidade, o dirwtor de Carnaval, Marquinhos Marino, Gabriel Haddad, assessor do carnavalesco Alexandre Louzada, e Luiz Cláudio, vice-presidente administrativo

Segundo os dirigentes, no dia 20 de janeiro de 2017, a Mocidade enviou o livro Abre-Alas provisório de seu desfile à Liga. De acordo com entendimento da Liesa, erratas e atualizações são aceitas até dois dias antes do desfile oficial de qualquer agremiação. Sendo assim, no dia 02 de fevereiro, 23 dias antes da data em que a Mocidade realizou seu desfile, a escola enviou novo livro, devidamente atualizado com a alteração que provocou a polêmica que fez com que a Mocidade perdesse o décimo que lhe custou o título de campeã do Carnaval: a extinção do cargo de destaque de chão de Camila Silva. Segundo a escola, a alteração no livro está, inclusive, destacada em amarelo. No dia 7 de fevereiro, quando ocorreu a segunda parte do curso de jurados, a mudança já havia sido informada.

A Liesa respondeu o e-mail da escola com texto em que diz que o novo documento teria sido aceito e acatado oficialmente pela instituição. No entanto, o jurado Valmir Aleixo, de posse dos dois roteiros, optou por utilizar o anterior, visto que já havia feito anotações naquele.

A Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro tem 30 dias para responder ao recurso administrativo. A escola acredita que o problema será resolvido nesta instância e ainda não foi cogitado recorrer à justiça comum para dirimir a questão. Porém, segundo a advogada da escola, “a Mocidade vai recorrer até o último momento para reparar o erro cometido pela Liesa”.

Fechado para novos comentários.