Manchete
Like

Paulo Vianna: nota sobre afastamento

1 de fevereiro de 2014
194 Vizualizações
0 Comentários
7 minutes read
Paulo Vianna: nota sobre afastamento

A diretoria da Mocidade Independente de Padre Miguel, destituída do cargo por decisão judicial na última quinta-feira (30), divulgou, na tarde deste sábado (01), uma nota oficial comentando o caso. Segue a nota na íntegra.

 

NOTA OFICIAL

 

À  IMPRENSA

À NAÇÃO VERDE E BRANCA

À SOCIEDADE

AO MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL E FEDERAL

 

 

O GRESMIPM – GRÊMIO RECREATIVO  ESCOLA DE SAMBA MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL tendo em vista os fatos amplamente divulgados pela imprensa, noticiando o  afastamento liminar de seu Presidente determinado pela Justiça, vem esclarecer o seguinte.

A atual diretoria da MOCIDADE, que há mais de uma década está à frente da maior e mais apaixonante ESCOLA DE SAMBA do País, esclarece que a decisão judicial lançada pelo Juízo da 12a Vara Cível será respeitada, pois toda decisão judicial deve ser cumprida.

O departamento jurídico da Agremiação está empenhado no restabelecimento da verdade, ofuscada por um Inquérito onde o Presidente da ESCOLA sequer foi ouvido, embora tenha peticionado no mesmo em duas ocasiões distintas, pedindo para ser ouvido e solicitando diligências que foram ignoradas pela autoridade policial.

A Agremiação vem a público para dizer que um dos autores da ação que culminou no afastamento do atual Presidente é um cidadão condenado pela Justiça Federal do Rio de Janeiro – 4a Vara Criminal, por envolvimento com a máfia dos caça-níqueis.

A MOCIDADE, que vive num regime democrático há mais de uma década, está sendo atacada pela via do Judiciário, mas, no fundo, o que se deseja é afastar a atual diretoria para que a ESCOLA seja tomada pelo Sr. FLAVIO DA SILVA SANTOS, condenado pelo Juízo da 4a Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

A diretoria confia na Justiça e, se um indiciamento indireto num Inquérito, foi suficiente para afastar o Presidente, se espera que a Justiça considere, não menos grave, que um cidadão condenado por integrar a máfia dos caça-níqueis esteja a frente de um processo que está sendo utilizado para facilitar a tomada da ESCOLA.

A diretoria lamenta que os atos da “oposição” sejam sempre praticados às vésperas do Carnaval, sempre com o intuito de prejudicar a Agremiação, especialmente neste ano, onde temos o melhor enredo e samba enredo do Carnaval, com o retorno de torcedores ilustres.

Esses atos, não apenas maculam a imagem da ESCOLA, mas também inviabilizam seus resultados, criando sérios problemas com fornecedores e patrocinadores, havendo, em verdade, a manifesta intenção de rebaixar a ESCOLA, considerando as eleições do ano que vem.

A ESCOLA, faltando 30 dias para o CARNAVAL, foi acorrentada e verbas de patrocínio que serviriam para ultimar os trabalhos não saíram, diante do grande alarde criado.   O que fazer?

A AGREMIAÇÃO pede a toda a NAÇÃO VERDE E BRANCA que agora, mais do que nunca, apóie a ESCOLA lotando o Sambódromo e mostrando que samba é democracia e que os desarmados só podem sobreviver numa sociedade, quando esta é justa e amparada por um Judiciário forte e independente.

A AGREMIAÇÃO pede abertamente que o MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL e o MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL tomem as medidas cabíveis para evitar que um condenado pelo envolvimento com a máfia dos caça-níqueis seja colocado à frente da AGREMIAÇÃO, sem ter um único voto ou mesmo sem jamais ter se candidatado à Presidência da ESCOLA.

No dia 30/01/2014, o Sr. FLAVIO DA SILVA SANTOS tentou ingressar no barracão da ESCOLA, obviamente acompanhado de seguranças, dizendo que iria administrá-la e na data de ontem mandou que fantasias e camisas lhe fossem entregues, o que não foi feito, pois a AGREMIAÇÃO tem compromisso com as pessoas que já adquiriram o material e a decisão judicial não transferiu a administração aos autores da ação.

Está em curso um plano de tomada da AGREMIAÇÃO pelo Sr. FLAVIO DA SILVA SANTOS que teve a desfaçatez de querer desmoralizar o atual Presidente por conta de um indiciamento, sendo ele um condenado.

A sociedade precisa saber que em nenhum momento o Presidente afastado foi acusado de ter falsificado qualquer assinatura.  E isso será provado na ação penal que certamente virá, diante da confissão de dois elementos, sendo que um deles  afirmou que quem deu os nomes para serem objeto de falsificação foi CÉLIA MARIA DE ANDRADE VIANNA, ex-esposa do Presidente afastado e que, não por acaso, figura como autora da ação que pediu o afastamento.  É preciso saber ainda que FLÁVIO DA SILVA SANTOS foi condenado no processo 2003.51.01.504960-6, podendo a sentença ser acessada por qualquer do povo, pois consta da página da Justiça federal do Rio de Janeiro.

A NAÇÃO VERDE E BRANCA pensa, raciocina e hoje pode ir a uma quadra digna, participar dos ensaios, de shows, onde sabe que seus direitos serão respeitados, principalmente o de ir e vir.  Estão querendo botar tudo a perder.

A MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL, numa fase extremamente difícil, pede socorro à sua torcida (seu maior e verdadeiro patrimônio), à sociedade e ao Ministério Público, para evitar o retrocesso que a tomada da Escola por essa pessoa representa.

Por fim esclarece aos associados que seu departamento jurídico busca no Judiciário reverter a decisão liminar que afastou seu Presidente.

Atenciosamente,

A DIRETORIA.

 

Fechado para novos comentários.